Rua Pedroso Alvarenga, 584 – Itaim Bibi, São Paulo, SP

Distúrbios Alimentares e Endocrinologia: entenda a relação

por 18 ago, 2023

A relação entre distúrbios alimentares e endocrinologia não pode ser ignorada por quem está buscando tratamento abrangente. 

Os distúrbios alimentares não apenas desencadeiam desequilíbrios hormonais substanciais, mas também exercem um impacto profundo no funcionamento metabólico do organismo. 

Neste artigo, você vai entender quais são os transtornos alimentares mais comuns e qual a importância de um médico endocrinologista para o tratamento.

O que são transtornos alimentares?

Os transtornos alimentares são ocasionados pela relação descontrolada entre corpo, mente e alimentação, os quais desencadeiam em atos impulsivos acerca desses fatores, prejudicando o organismo. 

Esses transtornos surgem de uma combinação de fatores emocionais, sociais e biológicos, levando a padrões prejudiciais de alimentação e preocupações excessivas com peso e forma corporal.

Nesse cenário, a pessoa sofre uma perturbação constante em relação ao corpo, ao mesmo tempo que sofre desconfortos físicos causados pelas atitudes extremas em relação ao peso e a comida.

A imagem distorcida de si e a preocupação obsessiva com a forma do corpo gera reações compulsivas sobre alimentação, exercícios físicos e uso de medicamentos.

No geral, os pacientes sozinhos não têm forças para pedir ajuda e a doença só é descoberta quando atinge um estágio avançado.

Mesmo sendo uma condição complexa – tanto para identificar o problema quanto os motivos – é totalmente possível recuperar a saúde e a qualidade de vida com o tratamento adequado.

Quais são os transtornos alimentares?

Os transtornos alimentares são desenvolvidos de diferentes formas, veja agora os tipos mais comuns de transtornos alimentares (TA) e como eles se manifestam:

Anorexia Nervosa 

Também chamada de anorexia, essa doença causa uma percepção distorcida do próprio corpo.

A pessoa se vê acima do peso, mesmo que não esteja. Dessa forma, ela corta as calorias severamente e abusa de exercícios. Tudo isso causa danos ao organismo e à mente.

Bulimia Nervosa 

A bulimia se manifesta por episódios de compulsão alimentar, seguidos por métodos de purga, como vômitos e uso de laxantes ou exercícios compulsivos.

Esses ciclos podem ocasionar desequilíbrios eletrolíticos e problemas gastrointestinais, além dos impactos psicológicos. 

Transtorno de Compulsão Alimentar Periódica 

No caso de transtorno de compulsão alimentar periódica, há episódios de ingestão exagerada de comida, mas sem as medidas de expurgo como na bulimia. 

Essa compulsão causa ganho de peso e obesidade, prejudicando a saúde metabólica e cardiovascular.

Vigorexia 

A vigorexia é uma condição que também distorce a visão da pessoa sobre o próprio corpo. 

Contudo, a busca é pelo ganho de músculos e a pessoa passa a ter comportamentos obsessivos relacionados ao exercício físico e à busca incessante por ganho de massa muscular.

Outros Transtornos Alimentares 

Além dos mencionados acima, existem outros transtornos menos conhecidos que merecem atenção.

  • Ortorexia: a pessoa fica obcecada por alimentos tidos como saudáveis.
  • Síndrome de pica: em que a pessoa passa a ingerir substâncias não comestíveis.
  • Síndrome do comer noturno: marcada por excessos alimentares durante a noite.

Leia também: Remédio pra emagrecer faz mal à saúde?

Como um endocrinologista pode ajudar a tratar transtornos alimentares?

Transtornos alimentares alteram o metabolismo e as consequências podem prejudicar todo o funcionamento do organismo, inclusive na produção hormonal.

Diante disso, mais do que uma dieta correta e acompanhamento psicológico, é preciso corrigir a quantidade de hormônios para que o sucesso do tratamento seja completo.

Qualquer desequilíbrio hormonal pode ter implicações significativas na saúde e na qualidade de vida. Portanto, a ajuda desse profissional é essencial para restaurar as funções normais do organismo.

Recomendo que agende uma consulta com um endocrinologista para ter uma análise completa. Com o tratamento adequado, você colherá os frutos mais rápido e também garante que a mudança de vida será permanente.

Qual médico cuida de transtornos alimentares?

O tratamento de transtorno alimentar é multidisciplinar, ou seja, carece de vários profissionais para tratar áreas específicas.

Desse modo, a ajuda de um psicólogo, psiquiatra, nutricionista, nutrólogo e um endocrinologista é essencial.

Isso ocorre porque mesmo que os transtornos sejam percebidos no comportamento alimentar, suas raízes são mais complexas e profundas.

A causa dos distúrbios alimentares são desconhecidas, o que se conhece são os fatores que podem desencadear as doenças.

Por sorte, já existem tratamentos eficazes e ter uma vida normal de novo é totalmente possível.

É importante lembrar que, quanto antes o tratamento iniciar, menores são os danos psicológicos e físicos.

Como é o tratamento de transtorno alimentar?

O tratamento de transtornos alimentares deve ser colaborativo e envolve uma equipe multidisciplinar de profissionais especializados que trabalham em conjunto para fornecer uma abordagem completa e personalizada.

Veja abaixo os principais elementos desse tratamento abrangente:

  • Diagnóstico preciso: um diagnóstico cuidadoso é o ponto de partida, fornecendo percepções essenciais para a elaboração de um plano de tratamento eficaz.
  • Orientação nutricional: nutricionistas qualificados auxiliam na construção de hábitos alimentares saudáveis e sustentáveis, contribuindo para a recuperação do paciente.
  • Acompanhamento psicológico: o acompanhamento com psicólogo visa abordar padrões de pensamento disfuncionais e comportamentos associados, promovendo mudanças positivas.
  • Intervenção médica: médicos especializados, como endocrinologistas, desempenham um papel vital no tratamento de desequilíbrios hormonais frequentemente observados.
  • Tratamento hospitalar: em casos mais graves, o tratamento hospitalar oferece monitoramento constante e intervenção imediata, garantindo segurança e cuidados intensivos.
  • Suporte familiar: a família desempenha um papel crucial, fornecendo apoio emocional e prático, fortalecendo o processo de recuperação.

A sinergia entre esses elementos e a personalização do tratamento é a chave principal para promover a recuperação e saúde integral do paciente.

Conclusão

Os distúrbios alimentares são caracterizados por maneiras descontroladas de se alimentar em qualquer um dos extremos: muito ou pouco.

O acompanhamento de um endocrinologista para o tratamento é essencial, pois os transtornos podem desencadear uma série de problemas hormonais que alteram o funcionamento do organismo.

Não apenas isso, contar com a ajuda de uma equipe multidisciplinar é diferencial para o tratamento efetivo. Os TAs são desenvolvidos a partir de diferentes fatores e todos devem ser acompanhados.

Gostou do artigo? Se você ou alguém que você conhece está lidando com um transtorno alimentar, é essencial conversar com um especialista imediatamente.

Sobre o autor

Dr. Filipe Fontes

Médico - CRM 200152/SP

  • Endocrinologia e metabologia
  • Clínica médica
  • Emagrecimento, obesidade, gordura localizada
  • Performance e ganho de massa
  • Melhora da libido e disposição
  • Terapias injetáveis
  • Reposição hormonal e qualidade do sono
  • Tireóide, diabetes e sarcopenia

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *