Rua Pedroso Alvarenga, 584 – Itaim Bibi, São Paulo, SP  |  (11) 99717-7493

Doenças causadas pela falta de vitamina D: veja sintomas e o que fazer

por 28 jul, 2023

A lista de doenças causadas pela falta de vitamina D vai te surpreender e é importante que você as conheça para se prevenir.

A vitamina D é um nutriente essencial e se destaca de outras vitaminas, pois pode ser sintetizada pelo próprio organismo quando exposto à luz solar. 

Por outro lado, a deficiência pode causar desde cansaço até problemas nos ossos e, por isso, merece atenção.

Neste artigo, você entenderá mais profundamente os aspectos desse nutriente, sua importância para o corpo humano, os sintomas de deficiência e como mantê-la em níveis saudáveis no dia a dia.

O que é a vitamina D e quais suas fontes naturais?

A vitamina D é um nutriente especial, considerado um hormônio, e é produzida pelo próprio corpo. Sua principal fonte é a luz solar, mas também pode ser obtida através da alimentação saudável. 

Peixes como atum, sardinha e salmão são ricas fontes naturais desse nutriente. Além disso, alimentos fortificados e cápsulas de vitamina D são opções para suplementação. 

É importante ressaltar que a absorção pode variar entre indivíduos, influenciada por fatores como cor da pele, uso de filtro solar, idade e estação do ano. 

A vitamina D realiza um papel crucial na saúde óssea, pois auxilia na absorção de cálcio. 

Além disso, estudos têm relacionado essa vitamina com benefícios para a imunidade, função cardiovascular e saúde mental. Garantir níveis adequados é essencial para o bem-estar geral do indivíduo.

Os exames de sangue são usados para avaliar os níveis no corpo e, nesse caso, o médico é capaz de orientar a melhor forma de reposição.

Consequências da deficiência de Vitamina D e Grupos de Risco

Manter níveis adequados de vitamina D é essencial para diversos aspectos da saúde, incluindo ossos fortes, função muscular, saúde cardiovascular e imunidade. 

A falta dessa vitamina pode acarretar problemas como osteoporose, fraturas, atraso no crescimento infantil e maior risco de quedas em idosos, bem como predispor a doenças cardiovasculares e autoimunes. 

Grupos de risco, como idosos, obesos, gestantes, lactantes, crianças e pessoas com condições renais ou inflamações intestinais, merecem atenção especial. 

Através de exames de sangue, é possível identificar deficiências e adotar estratégias de suplementação adequadas, prevenindo impactos negativos na saúde. 

Investir na manutenção da vitamina D contribui para uma vida mais saudável e equilibrada.

Doenças causadas pela falta de vitamina D

A deficiência de vitamina D pode causar ou estar associada a várias doenças e condições, incluindo:

  • Osteoporose: a falta de vitamina D pode causar fragilidade nos ossos.
  • Raquitismo: essa é uma doença caracterizada por ossos fracos e deformados, comumente observada em crianças em crescimento.
  • Osteomalácia: semelhante ao raquitismo, a osteomalácia é uma condição em que os ossos se tornam fracos e dolorosos em adultos.
  • Doenças cardiovasculares: baixos níveis de vitamina D podem estar relacionados a um aumento do risco de doenças cardíacas, como hipertensão, doença arterial coronariana e insuficiência cardíaca.
  • Doenças autoimunes: a falta dessa vitamina tem sido associada a um maior risco de doenças autoimunes, como esclerose múltipla, diabetes tipo 1 e artrite reumatoide.
  • Diabetes tipo 2: baixos níveis de vitamina D podem aumentar o risco de diabetes tipo 2.
  • Infecções respiratórias: estudos sugerem que a deficiência de vitamina D pode aumentar a suscetibilidade de infecções respiratórias, como resfriados, gripes e infecções do trato respiratório superior.
  • Doenças neurodegenerativas: pesquisas apontam para uma possível associação entre a deficiência de vitamina D e o desenvolvimento de doenças neurodegenerativas, como a doença de Alzheimer e a doença de Parkinson.
  • Depressão: a deficiência de vitamina D pode estar relacionada a um maior risco de depressão e distúrbios do humor.

É importante ressaltar que a deficiência de vitamina D pode ser um fator de risco ou estar associada a essas doenças, mas nem sempre é a única causa.

Por isso, consulte um médico especialista para tratar da sua saúde de forma correta e abrangente.

Quais os sintomas da falta de vitamina D no corpo?

Os sintomas da deficiência de vitamina D variam consideravelmente e, por isso, um médico especializado precisa avaliar e pedir os exames clínicos necessários

Em um primeiro momento, você pode ficar atento aos seguintes sinais:

  • fraqueza muscular e fadiga;
  • dor nos ossos e articulações;
  • alterações de humor, incluindo sintomas de depressão;
  • aumento da sonolência;
  • suscetibilidade a infecções respiratórias recorrentes;
  • diminuição da imunidade, resultando em maior propensão a infecções;
  • problemas de crescimento em crianças;
  • redução da função cognitiva em idosos.

Para a maioria dos adultos, a deficiência de vitamina D não é uma preocupação. 

No entanto, certas pessoas, especialmente as de pele mais escura e mais de 65 anos, têm um maior risco de desenvolver deficiência de vitamina D pela dificuldade de absorção.

A deficiência dessa vitamina pode não apresentar sintomas, mas isso não significa que os problemas não vão ocorrer.

Check-ups anuais e uma boa alimentação são sempre a melhor forma de manutenção dessa e outras vitaminas.

O que fazer para manter a vitamina D em dia?

Antes de mais nada: o banho de sol. É recomendado tomar sol antes das 10h ou após as 16h e sempre aplicar protetor solar para proteger a pele.

Sobre a alimentação é interessante consumir: óleo de fígado de bacalhau, peixes gordurosos e alimentos fortificados com vitamina D.

Em alguns casos, o médico pode receitar medicamentos, mas a manutenção deve ser feita com as dicas acima. Esses cuidados são essenciais, mas apenas um exame clínico pode confirmar a deficiência de vitamina D.

Conclusão

A vitamina D tem muita importância para o bom funcionamento do corpo. Sendo assim, a deficiência de vitamina D pode ocasionar problemas tanto nos ossos quanto no sistema cardiovascular.

Quanto aos tratamentos, a suplementação de vitamina D pode ser feita através de suplementos orais, alimentos como peixes ou exposição controlada à luz solar.

Por fim, é importante ressaltar que o tratamento só pode ser prescrito por um médico capaz de trabalhar nas necessidades de cada pessoa. 

Por isso, fale com um especialista agora mesmo e garanta que a sua saúde esteja em dia!

Sobre o autor

Dr. Filipe Fontes

Médico - Endocrinologia

  • Clínica médica
  • Endocrinologia e metabologia
  • Emagrecimento, obesidade, gordura localizada
  • Performance e ganho de massa
  • Melhora da libido e disposição
  • Terapias injetáveis
  • Reposição hormonal e qualidade do sono
  • Tireóide, diabetes e sarcopenia

Dr. Filipe Fontes

Médico - Endocrinologia

  • Clínica médica
  • Endocrinologia e metabologia
  • Emagrecimento, obesidade, gordura localizada
  • Performance e ganho de massa
  • Melhora da libido e disposição
  • Terapias injetáveis
  • Reposição hormonal e qualidade do sono
  • Tireóide, diabetes e sarcopenia

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *