Rua Pedroso Alvarenga, 584 – Itaim Bibi, São Paulo, SP  |  (11) 99717-7493

Obesidade e dietas: mitos e estratégias para uma vida saudável

por 22 ago, 2023

A obesidade e dietas se destacam como desafios atuais na saúde pública. No entanto, compreender a obesidade vai além de sua relação com as calorias, pois envolve aspectos genéticos e comportamentais.

As dietas milagrosas surgem todos os dias, mas, muitas vezes, estão repletas de informações equivocadas. Dessa forma, é fundamental filtrar o que é fato do que é mito. 

Neste artigo, vou fornecer informações esclarecedoras, além de estratégias reais e efetivas para buscar uma vida mais saudável. Confira.

Entenda o que é obesidade e seus riscos

A obesidade é uma doença crônica que consiste no acúmulo de gordura corporal de forma excessiva no corpo.

Geralmente, é desenvolvida por conta da grande ingestão de calorias, a qual o corpo não possui disponibilidade para queimar totalmente durante o dia, afetando o metabolismo.

Além disso, pode ser mais facilmente adquirida por conta de predisposição genética, problemas psicológicos, emocionais ou hormonais.

Por que a obesidade é tão perigosa?

A obesidade causa impactos negativos em quase todos os aspectos da saúde, afetando desde as capacidades reprodutiva e respiratória, até a memória.

Esse distúrbio aumenta o risco de doenças graves como diabetes, doenças cardíacas e alguns tipos de câncer.

Além disso, age de diferentes formas no organismo, alterando o psicológico, emocional, hormônios e metabolismo.

Como reduzir os riscos da obesidade?

Para reduzir os riscos da obesidade é necessário melhorar a alimentação adotando uma dieta equilibrada rica em nutrientes de frutas, vegetais, proteínas magras e grãos integrais é crucial. 

A realização de atividade física regular não só queima calorias, mas melhora saúde cardiovascular, metabolismo e controle de peso, evitando o sedentarismo e contribuindo para vida ativa.

Entretanto, apenas exercício físico e dieta sem acompanhamento médico pode ser perigoso, tendo em vista que a obesidade também está atrelada a condições psicológicas e hormonais.

Diante da complexidade do problema, é sempre aconselhável buscar ajuda médica multidisciplinar de psicólogos, nutricionistas, endocrinologistas e outros.

Dieta para obesidade funciona?

Sim, mas para que haja o resultado efetivo é necessário estudar os maiores problemas dos pacientes e combinar com estratégias direcionadas.

Uma pessoa pode chegar à obesidade por diversos fatores que vão desde fisiológicos (como problemas na tireoide) até emocionais (ansiedade, depressão).

A obesidade não é apenas originada pela alimentação, mas pelo conjunto de eventos que leva a pessoa a comer de forma exagerada.

O acompanhamento psicológico é necessário para dar apoio e ajudar que a mudança de vida seja duradoura. Além disso, exercícios e uma rotina mais ativa são essenciais.

De qualquer forma, a alimentação saudável é um pilar indispensável para a perda e manutenção do peso, além de manter a saúde, o bem-estar e a autoestima em dia.

3 Mitos sobre obesidade e dietas

Há diversos mitos relacionados à obesidade e dietas. Confira abaixo três mitos amplamente difundidos e descubra a verdade por trás de cada um deles:

1. Dietas radicais são eficazes para a perda de peso

A busca por soluções rápidas para a perda de peso muitas vezes leva a dietas extremamente restritivas. No entanto, essas abordagens drásticas geralmente não são sustentáveis a longo prazo

O corpo humano é adaptável e responde a uma ingestão calórica muito baixa, diminuindo o metabolismo, tornando a perda de peso mais difícil e, eventualmente, levando a um efeito sanfona. 

O ciclo de ganhar e perder peso repetidamente afeta negativamente o corpo e também pode prejudicar a saúde mental.

2. Comer tarde da noite engorda

A relação entre horário das refeições e ganho de peso não é tão direta, embora exista uma crença popular de que comer tarde da noite resulta em maior acúmulo de gordura.

Estudos têm mostrado que não é o horário das refeições em si, mas o balanço energético global que influencia o peso corporal.

Ou seja, o mais importante é a quantidade total de calorias consumidas ao longo do dia. 

3. Os alimentos “sem gordura” são mais saudáveis

A presença da palavra “sem gordura” nos rótulos dos alimentos leva à suposição de que esses produtos são automaticamente saudáveis e auxiliam na perda de peso. 

No entanto, essa percepção é enganosa. Alimentos “sem gordura” muitas vezes contêm açúcares adicionados e outros substitutos para melhorar o sabor e a textura. 

É necessário destacar que a gordura em si não é a única culpada pelo ganho de peso; a qualidade geral da dieta e a moderação e equilíbrio da alimentação são essenciais. 

Além disso, muitos alimentos processados rotulados como “sem gordura” podem ser ricos em calorias vazias e pobres em nutrientes essenciais.

Obesidade e dietas: estratégias para uma vida saudável

Na batalha contra a obesidade, é importante buscar abordagens eficazes e duradouras. Nesse sentido, trago abaixo opções para que você possa promover mudanças significativas na sua saúde e bem-estar.

1. Dieta balanceada e exercícios regulares

Uma dieta balanceada, repleta de nutrientes essenciais, é a base para prevenir e tratar a obesidade. Complementando essa abordagem está a incorporação consistente de atividades físicas. 

Não se trata apenas de perder peso; é sobre criar um estilo de vida saudável que não apenas influencia a composição corporal, mas também fortalece o organismo contra as armadilhas da obesidade.

2. Foco no bem-estar, não apenas no peso

A busca por uma saúde ótima vai além dos números na balança. A autoestima e a aceitação do corpo são fundamentais para uma relação saudável com a comida e para manter escolhas alimentares sustentáveis. 

Ao abordar o bem-estar em todas as suas dimensões, a jornada rumo a uma vida saudável ganha profundidade e significado.

3. Consultar profissionais de saúde

Consultar profissionais de saúde é um passo essencial. Os médicos e nutricionistas têm o conhecimento necessário para avaliar condições individuais, histórico médico e personalizar o tratamento. 

Através de uma abordagem personalizada, é possível criar um protocolo de emagrecimento que seja verdadeiramente eficaz e aumente as chances de alcançar objetivos de saúde de forma segura e sustentável.

Conclusão

A obesidade apresenta um desafio significativo na área da saúde pública, sendo influenciada por fatores genéticos, comportamentais e psicológicos. 

Para compreender a obesidade, é necessário ir além da mera contagem de calorias, abordando também os aspectos emocionais e hormonais envolvidos.

A busca pela saúde não deve se limitar ao peso, portanto adotar dietas radicais não é o ideal, sendo mais eficaz uma abordagem equilibrada com dieta balanceada e exercícios regulares. 

Se você busca enfrentar a obesidade de forma saudável, agende uma consulta com especialistas da FGH Medicina para receber orientação personalizada. Inicie sua jornada saudável hoje mesmo.

Sobre o autor

Dr. Filipe Fontes

Médico - Endocrinologia

  • Clínica médica
  • Endocrinologia e metabologia
  • Emagrecimento, obesidade, gordura localizada
  • Performance e ganho de massa
  • Melhora da libido e disposição
  • Terapias injetáveis
  • Reposição hormonal e qualidade do sono
  • Tireóide, diabetes e sarcopenia

Dr. Filipe Fontes

Médico - Endocrinologia

  • Clínica médica
  • Endocrinologia e metabologia
  • Emagrecimento, obesidade, gordura localizada
  • Performance e ganho de massa
  • Melhora da libido e disposição
  • Terapias injetáveis
  • Reposição hormonal e qualidade do sono
  • Tireóide, diabetes e sarcopenia

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *